FRANQUIAS EM CIDADES PEQUENAS

O empreendedorismo com a abertura de uma franquia é o sonho de muita gente. Quer seja para sair do desemprego ou realizar o desejo de se tornar dono do próprio negócio, uma tendência que está chamando atenção é o aumento do número de pessoas optando por investir em franchising no interior. Conforme dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), uma em cada quatro franquias está em pequenos municípios. Segundo o Sebrae, o consumo nessas áreas gira em torno de R$ 827 bilhões por ano, representando 38% do total do consumo nacional. Em Minas Gerais, por exemplo, para cada uma das vagas abertas em Belo Horizonte, seis foram criadas no interior.

A ABF lançou diversos cursos em mais de 120 cidades brasileiras para capacitar e incentivar o processo de interiorização do franchising, entre 2015 e 2016. Cerca de 75% das marcas associadas estão nas grandes capitais e regiões metropolitanas.

O investimento em franquias longe dos grandes centros urbanos apresenta um exponencial crescimento, ganhando cada vez mais espaço, seguindo o rastro do crescimento nacional urbano. O interior torna-se mais atraente por uma série de fatores, como custos menores para locação, marketing e divulgação. Outro ponto de atratividade está no menor acirramento da concorrência. Dados do ministério do trabalho mostram que 95,8% dos postos de trabalho gerados em abril de 2017, em nove dos maiores estados do Brasil vieram do interior. O Sudeste e Sul do país são as regiões onde o interior tem mais movimentação financeira.

Ao optar por uma cidade sem um negócio igual ou semelhante, dobra-se a chance de sucesso. A novidade em cidade pequena tende a gerar muita visibilidade sempre e, não apenas, momentânea. O faturamento também cresce no mesmo ritmo. Contudo, é preciso atenção para não cometer o erro de achar que, apenas por ser promissor, o resultado positivo já estará garantido.

Um dos principais aspectos que o interessado deve avaliar é se o segmento de interesse tem receptividade na região. Não adianta inaugurar um negócio, pensando apenas no fato de ser inovador, sem fazer uma pesquisa de mercado para constatar, por exemplo, o interesse das pessoas por aquele produto ou serviço.

Uma análise de mercado na cidade ou região de interesse é um dos primeiros e mais importantes passos, antes de adquirir uma franquia. Posteriormente, quando constada a aceitação do público, aí sim, é hora de investir e aproveitar os resultados que o interior pode proporcionar.

Lucien Newton, coluna Franquias de A a Z, Jornal Estado de Minas. Publicação em 04/06/2017.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Olá!
Podemos ajudá-lo?
Powered by