O SONHO DO MEU NEGÓCIO FRANQUEÁVEL

Os empreendedores normalmente são sonhadores por natureza, sonhos que geralmente se concentram na expansão territorial de seus negócios e o reconhecimento que se conquista através de inserir sua marca na mente de muitos consumidores. Por isso, muitos se perguntam: meu negócio é franqueável? Por experiência é possível dizer que toda marca é franqueável na medida em que está registrada e que tem alguém disposto a pagar um valor intangível para ter o direito de seu uso. Mas também importante falar sobre as condições de franqueabilidade para saber se a proposta de franquia é atrativa para quem deseja investir.

A primeira condição de franqueabilidade que precisamos analisar é a viabilidade legal, determinada principalmente pelo registro de marca no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), pela entrega da Circular de Oferta de Franquia (COF) e contrato de franquia. Esses documentos precisam estar de acordo com a legislação vigente no Brasil e precisam ser enviados ao candidato que deseja comprar a franquia pelo menos 10 dias antes de qualquer formalização de compra ou compromisso com o franqueado.

Uma outra condição de franqueabilidade muito importante é a viabilidade conceitual, determinada pela pergunta: Por que alguém pagaria para ter uma franquia da sua marca? Quanto mais seguro o “porquê” mais chances de sucesso sua marca terá. E existem algumas formas de determinar esse “porquê”, sendo elas uma série de diagnósticos que podem levar ou moldar uma melhor performance para a franquia.

A começar pelo interesse, procure entender se as pessoas procuram franquias do seu negócio e quais os motivos pelos quais elas procuram. Segundo é preciso identificar se seu produto ou serviço é desejado e aceito pelo mercado ou se segue alguma tendência passageira. Depois é importante comprovar a fidelidade dos seus clientes e a facilidade de operação, observando se é possível replicar em outros lugares e também se a mesma possui fácil gestão territorial. O próximo ponto é a curva de experiência e é um ponto decisivo para quem deseja transformar seu negócio em uma franquia. Avalie a trajetória da marca e descubra se você possui experiência suficiente para garantir boas práticas e gerenciamento. É preciso também ter consciência de longo prazo e oferecer certa garantia de que seu negócio está preparado para manter relações no futuro com seus franqueadores. Além disso, o empresário pode considerar seu feeling pessoal, pois, o comportamento do dono muitas vezes determina o grau de confiança do sistema de franquias da empresa.

A atratividade do investimento é determinante para quem quer adquirir uma franquia e por isso é importante discutir a viabilidade econômica. O empreendimento precisa ser capaz de gerar resultados para o franqueado e para o franqueador e o investidor também precisa ter a capacidade de recuperar o investimento em um tempo razoável, já que os contratos de franquia têm duração média de 4 a 5 anos. Para isso, o cenário projetado precisa ser atrativo e viável, gerando credibilidade para a franquia, pois, na maioria das vezes o franqueado deposita seus sonhos e reservas nessa oportunidade de negócio.

Após essa análise de viabilidade/atratividade é possível chegar a dois cenários diferentes: que existam aspectos que impossibilitam a continuidade do projeto ou que estão comprovadas as condições de franqueabilidade. Nos dois casos a recomendação é a mesma, não desistir do seu sonho. Se o diagnóstico for do primeiro cenário é preciso começar imediatamente o trabalho para tornar o negócio atrativo, seja através de mudanças na gestão, ajustes financeiros, melhorias no serviço/produto, entre outros. O empresário/líder precisa enxergar nesses ajustes oportunidades para de crescimento para o negócio e definir metas e ações práticas para realizá-los.

Já se o cenário encontrado for o segundo, o início do trabalho também precisa ser imediato porque é necessário realizar a formatação da franqueadora e preparar a estrutura para receber franqueados. Isso inclui pesquisas de mercado, manualização dos processos, construção da COF, manuais jurídicos, documentos. Estruturação de um plano de expansão, definição dos processos internos de seleção de franqueados, definição de perfil, como será o suporte da franqueadora, o controle dos processos, entre outros. Para auxiliar nesse processo é possível recorrer a profissionais ou empresas de consultoria que possuam mais experiência.

Após o processo de formatação a franquia estará pronta para ser comercializada, o que é vital para dar continuidade ao seu sonho e para que não haja desperdício de dinheiro, tempo e trabalho. Também é importante ter consciência de que os resultados não serão imediatos e de que todas as vendas terão que ser feitas com muita cautela, pois, os seus franqueados também serão responsáveis pela vitalidade e credibilidade da sua marca. Outro lembrete é que crescimentos explosivos podem representar um altíssimo risco de perda de controle, por isso é altamente recomendado a construção de um plano de expansão.

Por fim, a franquia deve ser encarada como um projeto de vida e não apenas como tendência do mercado para que ela atinja os objetivos iniciais de expansão e consolidação da marca. Para isso será preciso dedicar tempo, recursos e trabalhar de forma contínua para evoluir.

0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Olá!
Podemos ajudá-lo?
Powered by